Muito embora o cancro acarrete muito sofrimento emocional, isso não significa que todos os que se deparam com este diagnóstico tenham de obter apoio psicológico através de um profissional de saúde mental. Algumas pessoas acabam por conseguir ajustar-se a situações adversas ou mudanças repentinas na sua vida, dependendo dos recursos que disponham, como a rede de suporte (ou seja, familiares, amigos) e características pessoais de resiliência.

Porém, existem vários motivos que podem levar alguém a requerer apoio psicológico, podendo essa decisão partir do próprio ou não (por exemplo, pode ser sugerido por um familiar ou recomendado por outro profissional de saúde). Normalmente, se alguém sugere à pessoa que procure ajuda, fá-lo por notar alguma alteração no seu comportamento ou considerar que a situação que a pessoa está a atravessar é algo difícil e que poderá acometer o seu bem-estar emocional. Independentemente de quem incentive a procura de apoio, o destinatário deve estar motivado para o mesmo, mas nem sempre é fácil a própria pessoa reconhecer que precisa de ajuda.

Se identifica alguns destes sinais ou circunstâncias de vida, o apoio psicológico pode ser-lhe benéfico.

Doente oncológico

Sobrevivente

Cuidadores